panoramica02-GREMIO

O Grêmio da Bela Vista através do seu Departamento de Marketing está desenvolvendo um projeto inovador e eficiente para que sua mensagem publicitária seja vista e absorvida por milhares de cabeças.

 

Desde a presença da sua empresa, serviços e produtos em nossos muros externos, até o desenvolvimento de projetos e parcerias com o Clube da Bela Vista.

 

Os valores destinados para investimentos publicitários acordados entre as empresas participantes e o clube visam realizar a compra dos materiais de construção, iluminação, refazer o calçamento, segurança e melhorias no espaço público e social através de espaços publicitários para a empresa contratante expor da melhor forma possível a sua marca e contato nos denominados box’s/quadros/outdoors/muros a tornar viável, o objetivo do Projeto, assim se faz a nossa consciência com o intuito de viabilizar atendimentos de qualidade e expansão para ambas as partes, e para a cidade de Rio Claro/SP.

 

Conheça mais sobre o Projeto Cultural e Artístico de Revitalização dos Muros 

Tem Interesse em Participar das Atividades e Eventos Culturais?!

 

 

Entre em Contato

Atendimento: (19) 3534.7092 /   Assessoria e Marketing – WhatsAPP:  9 9801.7240

 

Confira abaixo alguns BOX’S disponíveis

Consulte nossos formatos e valores.

Em breve mais espaços á disposição, marque uma reunião e agende uma visita!

Participe ;)

 

 

ASSOCIE-SE

O VERÃO VEM AÍ

 

ASSOCIADO FREQUENTADOR:

CATEGORIA INDIVIDUAL NÃO INCLUI DEPENDENTES (NÃO PAGA MENSALIDADE, DEVENDO RENOVAR ANUALMENTE SEU VÍNCULO)

VALOR: R$400,00 À VISTA

OU R$ 500,00 EM 3 PARCELAS DE R$ 166,66

 

ASSOCIADO TITULAR:

CATEGORIA FAMILIAR INCLUI O CÔNJUGE, FILHOS ATÉ 18 ANOS OU UNIVERSITÁRIOS ATÉ 24 ANOS,
E OS PAIS DO CASAL COM IDADE ACIMA DE 60 ANOS

VALOR: R$600,00 À VISTA

OU 5 PARCELAS DE R$ 115,00 OU 10 PARCELAS DE R$ 72,00

 

PARCELAMENTO COM CARTÃO, CONSULTE OS VALORES

NA SECRETARIA DO CLUBE.

RETIRAR PROPOSTA E TERMO DE ASSOCIAÇÃO NA SECRETARIA, ANEXA AO SALÃO SOCIAL, DE TERÇAS AOS SÁBADOS EM HORÁRIO COMERCIAL.

 

CONTATO: (19) 3534.7092

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS: CÓPIAS DO RG/CNH/CPF, COMPROVANTEE DE ENDEREÇO, CERTIDÃO DE CASAMENTO, CERTIDÃO DE NASCIMENTO OU RG DOS DEPENDENTES E

2 FOTOS 3×4.

OBS.: COBRANÇA DE MENSALIDADE SOMENTE DEPOIS DE

12 MESES DE ASSOCIAÇÃO

 


006

“Blade Runner 2049” é uma continuação e uma homenagem ao clássico de 1982. O filme repete a fotografia e a atmosfera sombria do original, mas faz avançar a reflexão sobre engenharia genética e inteligência artificial (Luís Antônio Giron)

 

Chove sem parar em Los Angeles. A torrente tóxica cobre a megalópole de perigo e mistério. A ambientação de “Blade Runner 2049”, do diretor canadense Denis Villeneuve, é quase a mesma da ficção científica noir do diretor inglês Ridley Scott, “Blade Runner, o caçador de androides”, lançada sem alarde em 1982, mas que se tornou um cult movie. Villeneuve mantém a paleta de cores da fotografia original, bem como a ambientação futurista e suja, garantida pela presença de Scott como produtor executivo. O roteiro mantém coesão com o original baseado no conto “Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?” (1968), de Philip K. Dick, mas sem adaptar um livro. Foi escrito pelo roteirista Hampton Fancher, o mesmo do primeiro filme, e por Michael Green, autor de “Alien: Covenant”, de Scott.

 

A diferença entre os dois filmes é que a ação do segundo transcorre 30 anos depois da história do primeiro. Nesse meio tempo, por volta de 2021, um blecaute mundial destruiu todos os dados digitais. A situação provocou a fuga de replicantes e do policial Rick Deckard (Harrison Ford) em companhia da androide Rachael (Sean Young). Na continuação comparecem novas tecnologias, como os anúncios de mulheres em animação holográfica, a maior exclusão social – fora da área urbana, miseráveis povoam lixões vigiados por drones — e o avanço na engenharia genética. Esta acontece a cargo da corporação Wallace, que comprou o espólio da falida Tyrell, fabricante pioneira de replicantes, e produz androides obedientes e seres virtuais. O dono da empresa, Niander Wallace (Jared Leto), domina a cidade e obriga a polícia a achar um elo perdido: um indivíduo concebido durante o blecaute por uma androide e um homem. Tal criatura pode revolucionar a replicação em massa. Cabe ao policial androide K (Ryan Gosling) investigar o caso. Ele termina por encontrar Deckard, solitário e isolado, com um cão por companheiro. K quer saber se o animal é sintético. “Pergunte a ele”, diz Deckard. “Eu sei o que é real.” É tudo o que K não sabe, pois se espanta ao ver uma abelha e confunde mundo virtual e concreto. Sua namorada, Joi (Ana de Armas), não passa de uma imagem inteligente gerada por um aplicativo de realidade aumentada.

 

Os dois filmes tocam os mitos de Prometeu e de Frankenstein, personagens que desafiam a natureza para criar vida. “É o tema do homem que quer ser Deus”, afirma Villeneuve, de 50 anos, diretor de filmes violentos e cerebrais como “Sicário”, de 2015. O amor por “Blade Runner” o levou a escolher o cinema como carreira. “Era uma combinação inédita de filme noir e ficção científica”, diz. “Além disso, projetava o futuro nos anos 80 do ponto de vista tecnológico, sociológico e demográfico.” Ele convenceu Scott a produzir o filme. “Nunca pensei numa sequência”, diz Scott. Mesmo assim, não se satisfez com a versão original e fez dois “director’s cuts”, em 1992 e 2007. Neles, tirou o final feliz e embaralhou pistas. Isso fez o público especular mais. O filme não se esgotava com a revelação final.

 

“Blade Runner 2049” se propõe a resolver enigmas dados como insolúveis. O enredo parece mais simples e menos noir que o primeiro. Sua história se refere mais à busca de identidade do que uma caçada de androides. Mas o objetivo final foi discutir ideias atuais sobre realidade aumentada e os limites do humano com a implantação da inteligência artificial que irá destruir a humanidade, segundo o físico Stephen Hawking. Para além das discussões, a segunda aventura é uma declaração de amor emocionante à primeira, pois mantém um lirismo amargo que se condensa em chuva ácida. A história continua forte e promete não se interromper enquanto o espectador soltar a imaginação.

 

(Luís Antônio Giron)

 

006

 

Fonte: IstoÉ


II Encontro Para Homens 08.11.2017

II Encontro Para Homens 08.11.2017


marta-fischer

“Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ONTEM e o outro se chama AMANHÃ, portanto HOJE é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver”. (Dalai Lama) “

 

O Verso do Reverso do Não Fazer Escolhas

 

“Nossos fracassos são, às vezes, mais frutíferos que nossos êxitos” (Henry Ford)

 

“Só se pode alcançar um grande êxito quando nos mantemos fiéis a nós mesmos” (Nietzche)

 

“De acordo com a Física, resiliência trata-se da capacidade de um ‘corpo’ voltar ao seu estado original, após ter submetido a algum tipo de deformação. O mesmo acontece, quando um indivíduo possui habilidades em adaptar-se às mudanças em qualquer tempo. Captura estratégias para encontrar resultados às questões que se apresentam, ainda que, convivendo com o problema. O autoconhecimento é norteador no processo de superação.

 

“Conhecer o homem – esta é a base de todo o sucesso”(Charles Chaplin)

 

As soluções para os enigmas exige muita resiliência, porque abarcam as relações interpessoais de toda ordem. Na atualidade, ser resiliente é exigência primeira para inserção no mundo corporativo, pois o mercado de trabalho preconiza o profissional que tem capacidade em adequar-se às situações-limite, sem deixar-se envolver, porquanto a aceitação é arbitrária de conformismo e falta de ação.

 

A pessoa com característica ‘resiliente’ é empreendedora e arrojada para assumir riscos e perdas. Reconhece seus pontos fortes e limitações; antecipa-se aos obstáculos, se necessário; também recua e receia diante dos problemas, mas não se detém, mantém o equilíbrio, sem desestruturar-se. Graças a sua plasticidade, enfrenta momentos adversos de crises e se fortalece com isso, porque centra nos recursos de que dispõe, sem lamentar as intercorrências; aprende com os exercícios, em vez de sentir-se derrotado durante o aprendizado.

 

“A felicidade não se resume na ausência de problemas, mas sim na capacidade de lidar com eles”

(Albert Einstein)

 

Conheça o Website da Dra Marta Fischer ;)

Sejam Bem Vindos!  – www.martafischer.com.br

 

1-2


1

Movimentos de direita falam em pedofilia. Juiz e desembargador veem ‘histeria’. Museu diz que sinalizou sobre nudez em sala e que trabalho não tem conteúdo erótico.

 

performance de um artista nu no Museu de Arte Moderna (MAM), no Ibirapuera, Zona Sul de São Paulo, gerou polêmica nas redes sociais. Um vídeo que viralizou no Facebook mostra quando uma criança de aproximadamente quatro anos toca no pé do homem. O Movimento Brasil Livre (MBL) e outros movimentos de direita falam em crime; desembargador vê “histeria”.

 

A apresentação do artista Wagner Schwartz ocorreu somente na terça-feira (26), na estreia do 35º Panorama de arte Brasileira, tradicional exposição bienal que aborda a arte no país e propõe reflexão sobre a identidade brasileira. Segundo o MAM, o evento era aberto a visitantes que estivessem no local. O museu também informou que havia sinalização sobre a nudez na sala onde a performance ocorria.

 

Artista foi atacado nas redes sociais por permitir interação de criança quando estava nu em performance no Mudeu de Arte Moderna (MAM), na Zona Sul de SP (Foto: Divulgação)

 

Artista foi atacado nas redes sociais por permitir interação de criança quando estava nu em performance no Mudeu de Arte Moderna (MAM), na Zona Sul de SP (Foto: Divulgação)

 

A performance chamada “La Bête” foi inspirada em um trabalho de Lygia Clark. “Bichos” é considerada a obra viva da artista, pois sua intenção era de que a arte ultrapassasse os limites da superfície de um quadro. A série de esculturas com dobradiças permite que o espectador se torne figura atuante na obra, e foram construídas com formas geométricas para que não se parecessem animais, mas que permitissem uma visão livre do que a peça representava.

 

Em “La Bête”, o premiado artista Schwartz, que trabalha há quase 20 anos com coreografia, manipula uma réplica de plástico de uma das esculturas da série e se coloca nu, vulnerável e entregue à performance artística, convidando o público a fazer o mesmo com ele.

 

De acordo com o MAM, o público presente na performance era formado essencialmente por artistas e, uma das pessoas que prestigiou a apresentação foi a performer e coreógrafa Elisabeth Finger acompanhada da filha. O vídeo que viralizou nas redes sociais mostra o momento em que Schwartz está deitado, e mãe e filha, tocam seus pés.

 

Reação

 

O MBL divulgou um vídeo nas redes sociais em que chama a apresentação de “repugnante”, “inaceitável”, “erotização infantil”, “afronta”, “crime”, e afirma que a criança “se sentiu constrangida”. O grupo acrescenta que o vereador Fernando Holiday (DEM) vai “tomar as providências sobre o caso da criança induzida a ato libidinoso”.

 

O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) chamou os envolvidos de “canalhas” e categorizou a atividade como “pedofilia”. O deputado Marco Feliciano (PSC-SP) considerou as cenas “revoltantes” e os envolvidos “destruidores da família”.

 

Em nota (veja a íntegra ao final da reportagem), o MAM informou que a sala estava “devidamente sinalizada sobre o teor da apresentação, incluindo a nudez artística”. O museu também afirmou que “o trabalho não tem conteúdo erótico e trata-se de uma leitura interpretativa da obra Bicho, de Lygia Clark”.

 

“Importante ressaltar que o material apresentado nas plataformas digitais não apresenta este contexto e não informa que a criança que aparece no vídeo estava acompanhada e supervisionada por sua mãe”, diz a nota.

Movimento Brasil Livre (MBL) reage intensamente nas redes sociais contra performance realizada no Museu de Arte Moderna (MAM) (Foto: Reprodução/Facebook)

Movimento Brasil Livre (MBL) reage intensamente nas redes sociais contra performance realizada no Museu de Arte Moderna (MAM) (Foto: Reprodução/Facebook)

Deputado Jair Bolsonaro também reagiu contra a apresentação no museu (Foto: Reprodução/Facebook)

Deputado Jair Bolsonaro também reagiu contra a apresentação no museu (Foto: Reprodução/Facebook)

Deputado Marco Feliciano também reagiu contra a apresentação no museu (Foto: Reprodução/Facebook)

Deputado Marco Feliciano também reagiu contra a apresentação no museu (Foto: Reprodução/Facebook)

  

Aspecto jurídico

 

G1 consultou o juiz Jaime Medeiros da vara da Infância e da Juventude sobre o caso. “É importante deixar claro que não acompanhei o caso, mas pelo que vi por meio da imprensa, seria adequado se houvesse restrição de idade à apresentação por conta do conteúdo. Sou um defensor da liberdade artística e de expressão, mas vejo que foi a falta de cautela que gerou a polêmica”, opinou o juiz.

“Sobre tipificar a conduta do artista como crime, não me parece adequado. Não sei como o MAM procedeu, mas vejo uma falha por não terem aumentado a idade de acesso permitida. Essas questões de exibição são sempre delicadas porque você não pode censurar de maneira nenhuma, mas a criança tem que ser protegida integralmente”, continua o magistrado.

O desembargador Antônio Carlos Malheiros, do Tribunal de Justiça, compartilhou com o G1 uma opinião similar àquela do juiz. Ele disse que o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) orienta os espaços a indicarem restrição de idade sobre o conteúdo exibido.

“Chamar qualquer episódio mais insinuante de ‘pedofilia’ virou uma histeria coletiva. Isso precisa ser afastado. Agora, de fato, a criança não poderia estar presente. Não considero pedofilia, mas é uma ação absolutamente inconveniente para uma criança. Ou seja, esse artista e a própria mãe da criança que estava com ela podem ser advertidos. Mas não vamos chegar ao exagero de achar que era um comando pedófilo”, explica o desembargador.

“O ECA tem medidas protetivas às crianças, que não permitem que as crianças estejam em determinados locais onde determinadas cenas podem eventualmente chocá-las. E a cena pode, sim, vir a chocar uma criança. Nesse aspecto foi absolutamente inadequado”, continua.

“Não sei qual foi o procedimento do MAM, mas ele deveria estar ciente de que haveria cena de nudez com manipulação e restringir o acesso do público. Em caso de dúvida sobre restrição de idade, ele poderia acionar a vara da Infância e da Juventude, pedindo uma orientação”, completa o desembargador Antônio Malheiros.

  

Veja a íntegra da nota do MAM:

 

O Museu Arte de Moderna de São Paulo informa que a performance ‘La Bête’, que está sendo questionada em páginas no Facebook, foi realizada na abertura da Mostra Panorama da Arte Brasileira, em apresentação única.

A sala estava devidamente sinalizada sobre o teor da apresentação, incluindo a nudez artística, seguindo o procedimento regularmente adotado pela instituição de informar os visitantes quanto a temas sensíveis.

O trabalho apresentado na ocasião não tem conteúdo erótico e trata-se de uma leitura interpretativa da obra Bicho, de Lygia Clark, historicamente reconhecida pelas suas proposições artísticas interativas.

Importante ressaltar que o material apresentado nas plataformas digitais não apresenta este contexto e não informa que a criança que aparece no vídeo estava acompanhada e supervisionada por sua mãe. As referências à inadequação da situação são resultado de desinformação, deturpação do contexto e do significado da obra.

O MAM reafirma que dedica especial atenção à orientação do público quanto ao teor de suas iniciativas, apontando com clareza eventuais temas sensíveis em exposição.

O Museu lamenta as interpretações açodadas e manifestações de ódio e de intimidação à liberdade de expressão que rapidamente se espalharam pelas redes sociais.

A instituição acredita no diálogo e no debate plural como modo de convivência no ambiente democrático, desde que pautados pela racionalidade e a correta compreensão dos fatos.

Fonte: G1


lollapalooza_01

O Lollapalooza 2018 divulgou nesta quarta-feira a programação com todas as atrações do festival de música que acontece em março de 2018 no Brasil, Chile e na Argentina. Na extensa line-up o destaque são as bandas de rock Red Hot Chili Peppers, Pearl Jam e The Killers, que encabeçam a lista de mais de 100 artistas que participam do evento. Pela primeira vez o Lolla terá três dias de programação, após bater recorde de público nas últimas edições: cerca de 190.000 pessoas assistiram aos dois dias de shows do festival em São Paulo em 2017.

 

Os veteranos do Pearl Jam, uma das bandas mais legendárias e influentes dos últimos 30 anos, voltam ao Lolla Brasil, onde já foram a atração principal em anos anteriores. O grupo comandado por Eddie Vedder divide a atenção com os californianos Red Hot Chilli Peppers, que acabam de se apresentar no Rock In Rio, no Rio de Janeiro, onde apresentaram seu álbum mais recente, The Getaway. O terceiro nome da programação é The Killers, que já foi o prato principal do Lollapalooza na primeira edição celebrada no Chile.

 

Imagine Dragons, objeto de adoração em todo planeta, também está entre as atrações que retornam ao Lollapalooza, mas desta vez já como um fenômeno consagrado. Completam o magnífico arsenal artístico a cantora Lana del Rey, além de LCD Soundsystem e The National, um dos grandes nomes atuais da cena alternativa ao lado de Liam Gallagher (ex-Oasis), Metronomy, e Mac Demarco.

 

O Lollapalooza foi criado em 1991 por Perry Farrell nos Estados Unidos como um festival itinerante. Nos dias 16, 17 e 18 acontece no Hipódromo de San Isidro, em Buenos Aires, a versão argentina do festival, e no Parque O’Higgins de Santiago, a versão chilena. Esta última é a mais longeva de todas, com oito edições a suas costas e um público de mais de 900.000 pessoas.

 

Já no Brasil,os shows acontecem em 23, 24 e 25 de março, com ingressos a preços entre 552 a 1.500 reais. Entre os destaques da cena brasileira de música confirmados no Lolla Brasil estão o rapper Rincon Sapiência, Liniker e os Caramelows, Mallu Magalhães, O Terno, entre outros.

 

lollapalooza_01

 

 

Fonte: El Pais


PARCEIROS-EQUINOCIO-MADAME

Os Sorteios do Festival Equinócio Rio Claro/SP que aconteceram no último Sábado (16) no Lago Azul foram bem divertidos, e os ganhadores estavam animados!

 

E os ganhadores do Sorteio MADAME ADRIENNE MANICURE E PEDICURE foram:

 

SORTEIO DE 1 SESSÃO DE MANICURE

Talwer B.Costa ;) Parabéns! ;)

 

SORTEIO DE 1 SESSÃO DE PEDICURE

Felipe Broetto ;) Parabéns! ;)

 

Equinócio Rio Claro/SP – 2017

PARCEIROS-EQUINOCIO-MADAME


PARCEIROS-EQUINOCIO-GAIA-CELL

Os Sorteios do Festival Equinócio Rio Claro/SP que aconteceram no último Sábado (16) no Lago Azul foram bem divertidos, e os ganhadores estavam animados!

 

E a ganhadora do

SORTEIO DE 1 FONE E 1 CAIXA DE SOM wS 887

Bluetooth – FM – MicroSD

GAIA CELL – ACESSÓRIOS PARA CELULAR

CONTATO: (19) 99269.9650

foi a  Dayane Cristina Ceccato ;) Parabéns! ;)

 

Equinócio Rio Claro/SP – 2017

PARCEIROS-EQUINOCIO-GAIA-CELL


equinociorc02

Sábado agora, dia 16 de setembro acontece em Rio Claro um dos maiores eventos do Rock Underground brasileiro, o XVI Encontro de Rock do EQUINÓCIO.

 

Dessa vez, o local escolhido para a realização desse evento cultural, que recebe o apoio da Secretaria de Turismo de Rio Claro, foi o Parque do Lago Azul que situa–se no norte da cidade, entre o bairro de Santana e Vila Aparecida na Avenida 40, entre as ruas 2 e 6 .

 

O Projeto Lago Azul foi aprovado na gestão do prefeito Álvaro Perín, em 1971, tal local é uma área de utilidade pública para fins paisagísticos e de grande importância para o desenvolvimento turístico e de lazer da cidade.

 

O Encontro de Rock do Equinócio, ou simplesmente Equinócio, como é mais conhecido, surgiu em 2001 por iniciativa de Júlio Pizzotti, integrante da antiga banda HAL9000, e tem como objetivo principal reunir a juventude num evento cultural e artístico, dando total apoio ao Rock Alternativo.

 

O evento, que recebe em média 3.000 pessoas, reúne bandas do Estado de São Paulo e do Brasil, e faz parte do calendário cultural anual da cidade.

 

O evento recebe desta vez as bandas GOR VISION (PIRACICABA) ,DISNEY HELL (Capivari) ,EVILDEAD (AVARE) , Angel Sanctuary (PIRACICABA), Regurgimentação Necrovaginal Sangrenta (INDAIATUBA) ,DESPOCT HATE (ARARAQUARA) ,DEATH SLAVE (LIMEIRA) ,FAFNIR (SALTO) e GOLPE DEVASTADOR (INDAIATUBA) .

 

A iniciativa de Júlio Borbo com a realização do Equinócio inspiraram e deram origem a realização de outros Festivais que foram surgindo como o Rock Feminino que teve grande sucesso em Rio Claro, Araraquara Rock e outros na região.

 

Durante a realização do evento campanhas como “Diga Não às Drogas” e “Diga Não à Violência”, são realizadas, assim como são arrecadados caixinhas de leite que são encaminhados ao Fundo Social de Solidariedade do Município.

ideias04

ideias06

ideias07

O XVI Encontro de Rock do Equinócio será realizado no Lago Azul esse ano de 2017.

Serão mais de 25 Sorteios, conheça os nossos parceiros, participe do Evento!

PARCEIROS-EQUINOCIO-ATELIEDAMADEIRABRASIL (1)

PARCEIROS-EQUINOCIO-CLUBEMPB

PARCEIROS-EQUINOCIO-BOLOS-BOLOTAS

PARCEIROS-EQUINOCIO-GAIA-CELL

PARCEIROS-EQUINOCIO-GONZALES (2)

PARCEIROS-EQUINOCIO-MADAME

PARCEIROS-EQUINOCIO-MANANCIAL (1)

PARCEIROS-EQUINOCIO-MARA-DEPILACAO

PARCEIROS-EQUINOCIO-MEGA BATERA

PARCEIROS-EQUINOCIO-NIKAIA (1)

PARCEIROS-EQUINOCIO-Ouguciku Tattoo

PARCEIROS-EQUINOCIO-OUTRAS-HISTORIAS

PARCEIROS-EQUINOCIO-PA

PARCEIROS-EQUINOCIO-PET

 

 

Dia 16 de Setembro a partir da 13:00hrs aguardamos você e a sua turma!

 

Agradecemos a Secretaria de Turismo e ao Sr. Ronald Penteado (secretário de turismo de Rio Claro) que tem contribuído para a realização plena do evento.

 

Vamos Arrecadar Caixinhas de Leite ! ;)

Saiba mais sobre o Evento: www.rioclaroonline.com.br/equinocio

 

equinocio2017ok

 equinoiorc03

 

Assessoria de Imprensa

WhatsApp (19) 9 9801.7240 – contato@rioclaroonline.com.br


1

A Organização do Rock do Equinócio solicitou via Ofício as Secretarias Municipal do Meio Ambiente e Secretaria de Governo, Administração e Desenvolvimento Econômico responsáveis, pela gestão do atual Prefeito da Cidade, Juninho da Padaria, a limpeza total antes e depois do Espaço Público do Lago Azul e Centro Cultural.

 

Segue Ofício abaixo:

 

Ilmo. Sr.

 

Secretarias Municipal do Meio Ambiente

Secretaria de Governo, Administração e Desenvolvimento Econômico

 

Estamos entrando em contato para confirmarmos o local e a data para a realização do XVI FESTIVAL DE ROCK DO EQUINÓCIO, conforme o que foi inicialmente acordado na reunião de 25/01/2017, com a presença de V.Sa. Secretária de Cultura Daniela Martinez Figueiredo Ferraz, com a representante da Produção do Festival Leila Duckur Pizzotti, com a presença do Vereador Yves Carbinatti, e com o consentimento da Secretaria de Turismo, através do Sr. Ronald Penteado, sobre a mudança de Local da Estação Ferroviária para o Espaço Livre do Lago Azul

 

Nessa reunião em 25/01/2017 ficou em determinada a data de 16 de setembro de 2017 para a realização do evento, na Estação Ferroviária, como é tradicionalmente realizado há anos, ou na impossibilidade de uso desse espaço, no Lago Azul.

 

Confirmamos então que o Evento Rock do Equinócio será realizado no dia 16 de Setembro de 2017 no Espaço Livre do Lago Azul a partir das 13 horas.

 

Dessa forma, solicitamos a V.Sa. a limpeza do Espaço Livre do Lago Azul ANTES e DEPOIS do EVENTO acontecer, para a utilização e realização adequada do Evento Rock do Equinócio nos Espaços Públicos do Lago Azul, e para que a produção do XVI FESTIVAL DE ROCK DO EQUINÓCIO possa então iniciar as inúmeras ações, contatos e tratativas que demandam tempo para serem bem executadas.

 

Aguardando vossa resposta com a máxima urgência, subscrevemo-nos respeitosamente.

 

Júlio José Duckur Pizzotti

Produtor

 

Leila Duckur Pizzotti

Assessora de Comunicação

 

CONTATO – (19) 9 9801 7240 / 9 9801 7238 – leila@nautiluspublicidade.com.br


1

Seguraaaa que esse ano vai ser Top Top, e vamos contar novamente com a presença da nossa tão querida e estimada 
Chapolin Colorada Luludida (Fundadora da Agência Interativa Nautilus Publicidade – Desde 1977 – Comemoração de 40 Anos), como é de costume, ela anima o Festival com a sua presença! 

 

Para quem já a conhece, sabe a peça rara que ela é, e para quem não a conhece, participe do Equinócio 2017, vai ser divertidíssimo 

 

Ajude a sua cidade a ser mais solidária! 

Doe uma caixinha de Leite 

Sábado, dia 16 de Setembro de 2017 a partir das 13:00 horas, no Espaço Livre do Lago Azul, aguardamos você e a sua turma para esse Evento! 

 

Resistência e Força Galera!
Contato Assessoria de Imprensa
WhatsApp (19) 9 9801.7240
contato@rioclaroonline.com.br

Acesse: www.rioclaroonline.com.br/equinocio


1

Atração musical é gratuita e faz parte das comemorações para o Dia dos Pais

 

O cantor Victor Sávios, cover oficial de Tim Maia, apresenta seu show no Pátio Limeira Shopping, neste sábado, 12, às 20h.  A apresentação faz parte da programação do “Rock In Pátio”, evento de celebração ao Dia dos Pais, comemorado no dia 13. A entrada é gratuita.

 

A partir de 2013, Victor iniciou o cover de Tim Maia em conjunto com o amigo Valério Cazuza, dando início ao projeto “Os imortais”. Com a repercussão positiva, Victor foi chamado para o programa “Máquina da Fama” do SBT, onde ganhou notoriedade.

 

Além do timbre de voz semelhante ao de Tim Maia, Victor preza pela caracterização, o que torna o show mais especial e aproxima o público do ídolo. A playlist do show deve incluir sucessos como “Gostava tanto de você”, “Azul da cor do mar” e “Descobridor dos sete mares”.

 

Homenageado

Chamado de “Síndico do Brasil”, Tim foi cantor, compositor, maestro, produtor musical e instrumentista. Exigente com a qualidade do som em suas apresentações, ele é reconhecido como um dos maiores ícones da MPB (Música Popular Brasileira), explorando principalmente o Soul, Funk, Disco e R&B.

 

Confira a programação completa de shows para curtir com o seu paizão muito rock!

PROGRAMAÇÃO

 

Apresentação Especial

12/08, 20h – Tim Maia

15/08 – Capital Inicial

22/08 – Raul Seixas Imperdível ;)

29/08 – Guns n’ Roses


orquestrasinfonicarioclaro

O Jornal Cidade de Rio Claro publicou uma importante matéria dando um alerta sobre a triste e inaceitável situação da Orquestra Sinfônica de Rio Claro, que está prestes a encerrar suas atividades. Essa reportagem do JC precisa ser lida por todos aqueles que amam e lutam por Rio Claro e por sua História e Cultura.

 

Saiba mais…Clique aqui!

Fonte: Jornal Cidade de Rio Claro


amanda

Nosso corpo nossa casa. Habitat é lugar de morar, de repouso. Para o Projeto Habitats, o corpo nu simboliza esta morada e se despir se torna o ato de interiorização e contato com este lugar. Só há vida em um corpo habitado pelo etéreo, pela ternura, pelo sofrimento, pela alegria. Márcia Tiburi escreveu: “se há verdade no mundo, ela é a nudez”. Inspiradas neste movimento, e depois à luz desta frase, as divagações da fotógrafa foram ao encontro ou na busca de um movimento de desconstrução das relações tão repletas de defesas, onde panos que cobrem o corpo são parte deste distanciamento.

 

Captar as sensações de quem se despe para o projeto, faz com que a fotógrafa também se sinta despida de defesas e distancias, resultando em imagens que contém alta carga sentimento. Entre risos, olhares, conversas, histórias, com-tato, as imagens de dentro destas casas vão se revelando. Singularidades vão surgindo, mas com um efeito em comum: estes corpos já não são mais os mesmos. Assim como quem fotografa já não o é. Em meio esta troca o Projeto Habitats vai se construindo. Projeto porque nunca será definitivo, sempre haverá de se transformar e se reconfigurar. A fotografia é uma troca, entre quem está atrás da lente e quem se permite ter uma fração de segundo de si capturado em uma imagem. A nudez proporciona esta sintonia fina.

 

Estes ensaios já são uma pequena mostra mais de duas mil imagens já capturadas. Estes corpos casas exibidos nesta exposição representam um brinde às relações humanas, que só são possíveis quando acontece o reconhecimento de si. É de dentro para fora que as conexões acontecem.

 

O projeto se iniciou no final de 2015 e continua, com previsão para ser finalizado até meados de 2018, cujo final será brindado com uma exposição e uma publicação.

 

Quem tiver interesse em posar e não ter as fotos publicadas, pode falar com a fotógrafa também. Ela faz ensaios particulares.

 

Link do Projeto – Veja mais: Projeto Habitats

Contato: Jhen Scalco +55 19 983274180


sesi

Neto de Piazzolla, Daniel “Pipi” Piazzolla, lidera o sexteto de jazz argentino

Elena Roger se apresenta no Brasil pela primeira vez

 O Show é gratuito, no dia 30 de junho.

 

A ideia da reunião nasceu em Nova Iorque, em 2012, quando Elena Roger, em temporada na Broadway com o musical “Evita”, foi assistir ao show de seus conterrâneos – Escalandrum – no Clube Birdland, mítico reduto nova-iorquino de Jazz. Deste encontro, ficou a vontade de compartilhar projetos, que em 2016 começaram a tomar forma até chegar ao que hoje se chama 3001 (trailer).

 

Ganhador de três Prêmios Gardel (o mais importante da música argentina) como “Melhor álbum de Jazz”, “Melhor álbum do ano” e do aclamado “Gardel de Ouro” pela carreira, Escalandrum já se apresentou em mais 40 países e tem uma indicação ao Grammy Latino de 2012 na categoria “Melhor Álbum Instrumental”. O sexteto mistura jazz, tango e outros ritmos do folclore argentino e tem em sua formação Daniel “Pipi” Piazzolla (o neto do famoso bandoneonista argentino Astor Piazzolla). Além de baterista, Pipi assume a direção deste espetáculo.

 

Firmes e em carreira consolidada na cena nacional argentina, o grupo concorre, neste ano, mais uma vez, ao Prêmio Gardel na categoria “Melhor Álbum do Ano” com o disco “3001 Proyecto Piazzolla”, que será apresentado na CAIXA Cultural de São Paulo e nas unidades de São Paulo, Sorocaba e Rio Claro do Teatro Sesi.

 

Elena Roger, que se apresenta pela primeira vez no Brasil, traz força expressiva ao  projeto e mostra porque se consagrou nos palcos argentinos e internacionais, ganhando diversos prêmios como o Prêmio Laurence Olivier 2009, mais prestigioso prêmio do teatro britânico, de “Melhor Atriz em um Musical” por seu retrato de Édith Piaf, em Piaf. Também participou das peças da Broadway “Evita”, em que contracenou com Ricky Martin e “Passion”.  **Confira fotos do projeto**

https://goo.gl/uTJoVv

 

A antropóloga cultural argentina María Susana Azzi afirma que: “A potência enérgica dos músicos que conformam Escalandrum mais a energia vital e a força expressiva de Elena, nos leva a uma outra dimensão. Este espetáculo percorre um itinerário portenho e atual. Ao escuta-lo, parece que Elena e Escalandrum se conheceram desde sempre: os une o talento, uma sólida formação profissional, experiência internacional reconhecida e uma grande paixão. A sincronia é notável. O legado musical de Piazzolla é profundo e intenso, é presente e futuro”.

 

**escute o disco completo 3001 Proyecto Piazzolla**

https://goo.gl/i8qC3Z

 

Veja e ouça:

Teatro Coliseo: www.youtube.com/watch?v=oukn7tTTNr4

Balada para un loco: www.youtube.com/watch?v=ubbeKnkFXq8&feature=youtu.be

Los pájaros perdidos: www.youtube.com/watch?v=EtrEKIYlDvI

Oblivion: www.youtube.com/watch?v=pjgkw6Xbsek&feature=share

Balada para mi muerte: www.youtube.com/watch?v=HfKmJDt-eN4

Milonga de la anunciación: www.youtube.com/watch?v=ODSFNRH2So0

 

Veja o repertório do show:

https://goo.gl/x6RAhr

 

Ficha técnica:

Voz e Direção: Elena Roger | Bateria e Direção: Daniel “Pipi” Piazzolla | Piano e Arranjos: Nicolás Guerschberg | Contrabaixo: Mariano Sívori | Sax Tenor: Damián Fogiel |Sax Alto e Soprano: Gustavo Musso | Clarinete Baixo: Martín Pantyrer.

 

Serviço Teatro Sesi Rio Claro

Show 3001 Proyecto Piazzolla”, com Elena Roger e Escalandrum

Local: Teatro Sesi Rio Claro

Data: 30 de junho.

Horário: 20h

Endereço: Av. M 29, 441 – Jardim Floridiana, Rio Claro – SP

Capacidade: 226

Duração: 90 minutos

Bilheteria: Retirar no Teatro 2h antes do show

Informações: https://www.facebook.com/mundogiras/

Classificação indicativa: Livre

 

Sites oficiais: www.elenaroger.com e www.escalandrum.info

 

sesi

 

Produção executiva: Hernan Halak – Mundo Giras – www.mundogiras.com

Patrocínio: CAIXA e Governo Federal.

 

Escalandrum levou sua proposta artística a mais de 40 países na Europa, Asia e nas Américas e tem oito discos editados. O grupo instrumental participou em festivais de jazz no mundo todo. Entre outras distinções, recebeu o Premio “Konex de Platino” como Melhor Grupo de Jazz da década 2005-2015 e um “Gardel de Ouro” no ano 2012 pela trajetoria. Estes prêmios são os mais importantes da música na Argentina.

Compartilharam palco com artistas Internacionais como Dave Holland, Ute Lemper, Buika, Julieta Venegas, entre outros.

 

Em 2011 Escalandrum apresentou seu disco “Piazzolla plays Piazzolla”. A repercussão do público e a imprensa foi estupenda e receberam uma nomeação aos Latin Grammy Awards na categoria “Melhor Álbum Instrumental”.

 

Elena Roger, reconhecida e premiada tanto na Argentina como no exterior. Protagonizou obras emblemáticas da comedia musical em Londres, Madri, Broadway e Buenos Aires. “Evita”, “Piaf”, “Passion”, são alguns de sus trabalhos mais destacados e pelos quais obteve um grande reconhecimento do público e da imprensa. Foi nomeada aos Prêmios “Olivier” com as três obras que protagonizou no Reino Unido; premio que obteve por seu papel principal na obra PIAF na que emocionou até as lágrimas ao público inglês. É a única argentina que ha recebido este premio até o momento. Em 2011 obteve na Argentina o Premio “Konex” a “Melhor Atriz de Comedia Musical da Década”. Leva três discos editados como cantora de maneira independente.

 


concult02

Posto abaixo para conhecimento e reflexão, manifestação na Tribuna Livre da Câmara realizada em sessão camarária realizada em junho de 2016 alertando os vereadores, conselheiros, entidades e artistas sobre os graves problemas verificados no funcionamento do ConCult e seus reflexos no processo de concessão de subsídios a (algumas poucas) entidades culturais de Rio Claro.

 

Nesta manifestação pública, mais uma vez fiz um apelo para que todos se empenhassem na resolução destes problemas, alertando que caso não fossem resolvidos, surgiriam novamente em 2017. Infelizmente, como comprovam os últimos acontecimentos, meus alertas e apelos não receberam a devida atenção. E sou – somos – obrigado a enfrentar uma situação ainda mais grave do que a que ocorreu em 2016.

 

Porém, tenho absoluta certeza que os desdobramentos e consequências das decisões que ontem foram “aprovadas” na reunião do ConCult serão muito diferentes das ocorridas em 2016. E neste sentido, enquanto membro titular do ConCult, quero registrar e tornar público meu posicionamento contrário as decisões “aprovadas” na reunião realizada ontem.

 

Registro que meu posicionamento foi fundamentado no meu entendimento que as decisões “aprovadas” pelo ConCult por diversos motivos carecem legitimidade e legalidade jurídica. Entre os motivos merece destaque a falta de quórum mínimo previsto para que o Conselho aprove deliberações.

 

Manifesto também que – decorridos seis meses da “nova” administração – mais do que surpreso, me senti ontem indignado ao constatar a desatenção, incompetência e falta de critérios igualitários que estão sendo praticados. Tudo patrocinado e comandado por agentes políticos nomeados por um Prefeito que enquanto vereador me disse trocentas vezes ser totalmente contrário aos mesmos encaminhamentos que recebem hoje o aval de sua administração.

 

É brincadeira? Não apenas mais uma do Teixeirinha.

 

Sim do Teixeirinha. Já que o fato ocorrido ontem é apenas mais um que me deixa claro que quem governa Rio Claro hoje não é o Juninho da Padaria, mas sim o Prefeito Teixeirinha, cujas ações comprovam minha convicção de que tudo que o Juninho disse antes na verdade não passava de “mentirinha”.

 

Neste contexto, é que faço questão de reafirmar não concordo com a solução (aparentemente fácil) que se pretende dar para uma situação que ano após ano tem se repetido.

 

Assim é que finalizando e inspirado no Ministro digo:

 

“Por responsabilidade e respeito a cidadania, me vejo obrigado a participar deste velório. Não me obrigarão porém, a carregar este caixão. Até porque, resta-me ainda esperanças de que este “defunto” que querem rapidamente enterrar, na verdade ainda esteja vivo. Desconfio mesmo que este corpo que – por obrigação -velo agora, esteja apenas adormecido ou dopado por aqueles que tem interesse em enterrá-lo e que assim procedem pois temem as verdades que o defunto revelará caso subitamente levante deste caixão, provando a todos que ainda está vivo”.

 

 

Como membro titular do ConCult, em entrevista que concedi ao Grupo Rio Claro – Sp, fiz questão de mandar o seguinte recado à Secretária Municipal de Cultura, Daniela Ferraz e também, o Prefeito João Teixeira Junior.

“Não se coloca ordem na bagunça, bagunçando ainda mais o coreto.”
João Baptista Pimentel Neto*

Sobre os últimos acontecimentos relacionados ao Conselho, como diria a Vó Serafina,
“TÔ PASMÔ!”

Assistam, critiquem, curtam (ou não) e compartilhem:
Marvada Carne

 

 

Viva a Cultura. Viva minha querida São João Batista do Ribeirão Claro.
Cultura é a Mãe!

João Baptista Pimentel Neto
Jornalista, Gestor e Produtor Cultural


concult

Registro, informo e torno público, ofício que como Conselheiro Titular do ConCult acabo de enviar a Secretária Municipal de Cultura e aos demais conselheiros.

 

Exma Senhora
Daniela Ferraz
DD. Secretária Municipal de Cultura
Rio Claro, São Paulo

Ref. Ofício 001/2017

 

Excelentíssima Senhora,

 

Na qualidade de membro titular do ConCult – Conselho Municipal de Políticas Culturais de Rio Claro encaminho-lhe este ofício solicitando que no menor prazo de tempo possível esclareça, informe e coloque a disposição dos conselheiros os documentos abaixo listados:

 

1) Porque mesmo tenho conhecimento de que o parecer do ConCult sobre a prestação de contas de entidades subsidiadas pelo Poder Executivo Municipal é um documento obrigatório para a aprovação pela Câmara Municipal da concessão de novos subsídios, não informou e permitiu que o Prefeito João Teixeira Junior encaminhasse ao Legislativo rio clarense projetos de lei sem os referidos pareceres?

 

2) Porque na reunião extraordinária do ConCult realizada no dia 22 de junho de 2017, apenas as prestações de contas de duas das várias entidades que receberam subsídios da Prefeitura em 2016 foram colocadas a disposição e análise dos conselheiros? De quem foi esta decisão? Esta informação consta da convocatória enviada aos conselheiros?

 

3) De quem é, qual o conteúdo e porque não foi apresentado aos conselheiros o parecer jurídico que fundamenta e dá legalidade a concessão de subsídios a entidades culturais sem fins lucrativos sem a realização de uma Chamada Pública ou de Editais conforme determinado pela legislação em vigor?

 

4) Por se tratar de entidades que desenvolvem trabalhos semelhantes e referentes à mesma linguagem artística, porque também não foi colocado para a apreciação do ConCult a prestação de contas da Orquestra Philarmônica? De quem foi a decisão? Quem formulou e onde podemos encontrar o parecer que fundamenta a decisão de não conceder subsídios também a referida Orquestra? Porque este parecer não foi apresentado aos conselheiros?

 

5) Quem e quando foram aprovados os planos de trabalho anuais das duas entidades que – caso venham a ser aprovados os projetos em tramitação na Câmara Municipal – devem receber subsídios municipais neste ano?

 

Solicito ainda que sejam encaminhados ao ConCult os seguintes documentos:

 

* Cópia do primeiro decreto que relaciona e dá posse aos conselheiros titulares e suplentes eleitos para o atual mandato do ConCult;

 

* Cópia dos decretos municipais que conferem legalidade e autorizam a posse de novos conselheiros em substituição aos conselheiros nomeados no decreto acima referido;

 

* Lista de presença com a devida qualificação dos conselheiros que participaram da reunião extraordinária do ConCult realizada no dia 21 de junho de 2017;

 

* Cópia do parecer que fundamenta a concessão de subsídios as entidades cujos projetos se encontram em tramitação na Câmara Municipal;

 

* Cópia do parecer que desqualifica o trabalho desenvolvido pela Orquestra Philarmonica e por consequência dá tratamento diferente ao dado as duas outras entidades acima referidas;

 

Finalmente solicito que Vossa Excelência confirme e formalize a informação de que por DECISÃO do GOVERNO MUNICIPAL não serão concedidos outros subsídios, nem realizados editais pela Secretaria Municipal de Cultura no corrente ano.

 

Sendo só pelo momento, desde já agradeço a atenção e as prontas providência que estou certo estas minhas solicitações receberam da Secretaria Municipal de Cultura.

 

Atenciosamente

João Baptista Pimentel Neto
Conselheiro Titular do ConCult

Cultura é a Mãe!
João Baptista Pimentel Neto


WhatsApp Image 2017-06-14 at 12.26.48

4ª Feijoada Beneficente em Prol do Projeto Samuel e ADERC

Data: 09/07/2017
Horário: A partir das 12:00 hrs
Local: Grêmio Recreativo Cultural Bela Vista

Valor R$ 25,00 por Pessoa

Participe! 

 

 

WhatsApp Image 2017-06-14 at 12.26.48


WhatsApp Image 2017-06-21 at 14.50.52

Evento público para quem deseja adquirir produtos artesanais, fotografias, publicações independentes, para quem valoriza a arte, a troca de informação e uma boa conversa.

 

Um convite a todos que queiram desfrutar de um dia agradável. O evento reúne ateliês, fotógrafos, artistas visuais e produtores. A feira ainda vai contar com o apoio de comidinhas, boa música, vinhos e chopp artesanal.

 

LISTA DE ATRAÇÕES CONFIRMADAS:

 

Alexandre e Sandra, livros e fotografias
Vento Verde, livros de natureza
Sarau Madrinha Damares (Damares Rampim), pinturas e poemas
Yadira Rodrigues, fotos de Cuba
Flavinha Traldi, patchwork
Amélia Riani, pinturas em tela
Óbvio dos Elementos, incensos
Phorma (Consuelo e Carol), pedrarias
Laleska, comidinhas
Beer Bike, chopp artesanal
Márcia Francisco, massagens quick
Solange Farias, bonecas negras
Swami (Claudia e Ana Paula), saboaria
Clara Belchior, fotografias
Chris Almeida, suculenta flor
Eleonora, pintura country
Inez Lodo, delícias de Minas
Ney, mosaicos
Chico Aleixo, CDs antigos e som ao vivo
Ana Scotuzzi, desenhos em cadernetas
Colarte (Teresa e Lygia), colares finos e peças em feltro
Jhavana Ferro, cambacica
Empório Rustiko (João e Marta), garimpagem em madeira
Damadá (Priscyla), geléias exóticas de São Paulo
Cléo Maria, jóias afro
Oscar Bergstron, pinturas em telas
Fabrício Moraes, fotos de cenas urbanas
Vinho e Ponto (Ricardo Gonçalves), vinhos
Maria Teresa de Arruda, mercado de pulgas
Luiz Fernando Vecchiato, caricaturas
Omar Batarce, tábuas para gastronomia e arranjos com bromélias
Zé Pedro, mosaicos em carretéis industriais
Tui Santana, oficina de horticultura em vasos
Lilian Françoso, pintura, colagem e estamparia
Rosangela Doin, gravuras
Edson Zumpano, relógios artesanais
Josiane Lazarini, cerâmica artística
Paulo Rocha, pinturas em madeira
Lucília Giordano, biojóias em prata

 

DIA 24 DE JUNHO, DAS 10:00 ÀS 20:00 HORAS
DIA 25 DE JUNHO, DAS 10:00 ÀS 16:00 HORAS

LOCAL: AVENIDA 4A N°55 – CIDADE NOVA

 

WhatsApp Image 2017-06-21 at 14.50.52


_museu-destruido

Leiam, divulguem e compartilhem

A DESTRUIÇÃO DE UM MUSEU – 20 JUNHO 2010

(Relembrando a Destruição de um Museu)

Jenyberto Pizzotti

“e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:32)

 

Conforme amplamente divulgado pela imprensa local, regional e nacional o prédio onde estava instalado o Museu Histórico e Pedagógico “Amador Bueno da Veiga”, patrimônio nacional e sob responsabilidade da administração municipal de Rio Claro, foi totalmente destruído em 20 de junho de 2010 por um incêndio de grandes proporções.

Inicialmente, vou demonstrar minha ligação com a história do Museu Histórico e Pedagógico “Amador Bueno da Veiga”, e do papel determinante que tive em sua criação e implantação, e com base nessa exposição, acredito ter conhecimento e autoridade moral para expor o que segue:

Em 17 de outubro e 02 novembro de 1969, portanto há 47 anos, através de dois artigos que escrevi: “O Museu Histórico e suas Atividades Culturais” e “Sociedade Amigos do Museu”, ambos publicados no jornal “Cidade de Rio Claro”, alertei as autoridades da cidade e a população em geral, para a necessidade de ativação do Museu Histórico, que na ocasião já se encontrava tombado, mas inativo, e para a necessidade de apoio a então diretora do museu, Professora Dra. Jeanne Berrance de Castro, da UNESP.

Nesses meus artigos, também sugeri a criação da “Sociedade Amigos do Museu”, o que acabou ocorrendo e também a criação da primeira Diretoria Executiva do Museu, formada por historiadores e pessoas ilustres da cidade. Foi também criado o Conselho Consultivo do Museu, do qual participei e que era assim formado: Profa. Dra. Jeanne Berrance de Castro (presidente), Dr. Fernando Altenfelder (vice), Jenyberto Pizzotti (primeiro secretário) e Dr. Augusto Hofling (segundo secretário). O Museu Histórico, depois dessas iniciativas tomou impulso e iniciou diversas atividades culturais, mas ainda faltava algo para que funcionasse plenamente;

Em 06 abril de 1971, há 45 anos, através do artigo “Um Museu Agoniza”, publicado pelo jornal “Cidade de Rio Claro” no formato de uma reportagem realizada com o proprietário do Museu Mineralógico e Arqueológico “Albertina Pensado Dias”, Sr. Argemiro Martins Dias, apresentei uma denúncia e um alerta sobre a situação em que se encontrava esse outro museu rioclarense por falta de apoio das autoridades da cidade. O museu, que funcionava na Rua 8 esquina com a Avenida 12, além de Mineralógico e Arqueológico, era também Geológico, Botânico, Zoológico, Oceanológico, Indígena e Histórico e declarado de Utilidade Pública, estava para ser vendido para outro Estado da Federação por descaso total das autoridades rioclarenses.

Nesse artigo que escrevi em 1971, além da denúncia e alerta à população, apresentei a sugestão de que o Museu “Albertina Pensado Dias” fosse transferido para o prédio do Museu “Amador Bueno da Veiga” na Avenida 2. As autoridades municipais (o prefeito era o Dr. Álvaro Perin) então sensibilizadas, atenderam meu apelo e minha sugestão e o museu do Sr. Argemiro foi salvo e transferido para o Museu da Avenida 2. O Museu do Sr. Argemiro foi muito bem instalado em amplas salas, sendo a primeira grande contribuição e o fator determinante para que o Museu “Amador Bueno da Veiga” realmente passasse a funcionar, dando vida ao local, recebendo inúmeros visitantes, sobretudo estudantes.

Dessa forma, após demonstrar minha ligação com a história do Museu Histórico e Pedagógico “Amador Bueno da Veiga”, vou expor o que segue:

Em 2010, conforme amplamente divulgado pela imprensa de Rio Claro em relação ao incêndio e destruição do Museu Histórico e Pedagógico “Amador Bueno da Veiga, houve negligência e irresponsabilidade por parte da Administração Municipal, e ineficiência por parte dos serviços que operaram no local dos fatos.

Conforme publicação do Jornal “Diário do Rio Claro” em sua edição do dia 24 de julho de 2010, página 3, a atual administração municipal tinha conhecimento desde julho de 2009, portanto, um (1) ano antes do incêndio, do risco eminente de destruição do prédio e nada fez para que isso fosse evitado. O “Diário”, através de uma reportagem, alertou na ocasião a administração municipal, que foi omissa e nada fez.

Conforme amplamente divulgado pela imprensa, o fator determinante para as falhas verificadas na contenção das chamas, foi a falta de hidrantes próximos ao prédio do museu, enquanto aproximadamente 70 hidrantes estavam estocados no Departamento Autônomo de Água e Esgoto (DAAE).

Ainda segundo a imprensa, o prédio do museu (assim como outros prédios municipais) não dispunha, de vistoria do Corpo de Bombeiros por negligência da Secretaria de Planejamento Desenvolvimento e Meio Ambiente – SEPLADEMA, da Diretoria do Patrimônio Histórico e Cultural e da Secretaria de Cultura do município.

Evidenciando assim, a insensibilidade, negligência e irresponsabilidade do  prefeito de Rio Claro e das pessoas sob seu comando em relação ao risco de destruição IRREVERSÍVEL do Patrimônio Público e da destruição real do prédio do Museu Histórico e Pedagógico “Amador Bueno da Veiga”, no dia 02 de julho de 2010 entrei com uma representação junto a Promotoria Pública de Rio Claro, representada pelo Exmo. Sr. Dr. Antonio Nilton Victório, 3º Promotor responsável pela Defesa do Meio Ambiente e do Patrimônio Público e Social.

Nessa representação encaminhada ao MP em 02 de julho de 2010 eu ACUSEI e DENUNCIEI:

  1. a) o prefeito e vice-prefeito por NEGLIGÊNCIA com a preservação do patrimônio histórico e cultural de Rio Claro e, em especial, com o Museu Histórico e Pedagógico “Amador Bueno da Veiga”, negligência essa que foi fatal para o citado museu, assim como denunciei por IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA por causarem, por NEGLIGÊNCIA, prejuízos ao erário público;
  2. b) o Superintendente do Departamento de Água e Esgoto de Rio Claro (DAAE) por IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA e NEGLIGÊNCIA com a preservação do patrimônio histórico e cultural de Rio Claro, optando, de forma deliberada e consciente, por manter “em estoque” hidrantes novos e operacionais, ao invés de instalá-los próximos aos prédios municipais, o que poderia facilitar o trabalho do Corpo de Bombeiros de Rio Claro;
  3. c) o Secretário de Planejamento Desenvolvimento e Meio Ambiente – SEPLADEMA por NEGLIGÊNCIA na preservação do patrimônio público, por não ter solicitado ao Corpo de Bombeiros, em nenhum momento de sua gestão, a tão necessária vistoria no prédio do Museu Histórico e Pedagógico “Amador Bueno da Veiga”, o que poderia ter evitado a tragédia;
  4. d) o Secretário de Cultura, e a Diretora do Patrimônio Histórico e Cultural da Secretaria de Cultura de Rio Claro por NEGLIGÊNCIA na preservação do patrimônio histórico e cultural de Rio Claro e, em especial, com o Museu Histórico e Pedagógico “Amador Bueno da Veiga”, negligência essa que foi fatal para o prédio do citado museu, patrimônio público nacional.

Nessa representação ao Ministério Público, e no interesse e defesa do patrimônio histórico-cultural de Rio Claro, no interesse do BEM COMUM, e como cidadão desta cidade, também solicitei ao senhor Promotor Público:

  1. a) Determinar a Administração Municipal a manter o prédio citado (Avenida 2 com Rua 7), assim como os acervos do Museu Histórico e Pedagógico “Amador Bueno da Veiga” e do Museu Mineralógico e Arqueológico “Albertina Pensado Dias”, acervos atualmente depositados em local precário (prédio à Rua 1 entre Avenidas 2 e 4), sob vigilância patrimonial armada durante as 24 horas do dia, utilizando-se de sua segurança institucional (Guarda Civil Municipal) ou servindo-se de serviço terceirizado, a ser contratado sob regime de urgência;
  2. b) Determinar a Administração Municipal a inspeção do Corpo de Bombeiros nos imóveis que detenham patrimônio histórico-cultural, inclusive com parecer sobre as instalações elétricas;
  3. c) Determinar a Administração Municipal a inspeção na estrutura por entidades capacitadas, como o CREA e outros;
  4. d) Determinar a Administração Municipal a abertura de Inquérito Administrativo para a apuração dos fatos e da possível NEGLIGÊNCIA e IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA dos envolvidos;
  5. e) Apurar, e se necessário for, condenar civil e criminalmente, os envolvidos acima citados;

E fechei na ocasião minha representação com a frase “Tendo absoluta certeza da gravidade do caso, acredito que a Promotoria Pública de Rio Claro irá encontrar, dentro da Lei, do bom senso e da racionalidade, o que for melhor para a população desta cidade, e que irá realmente realizar a promoção da Justiça e da proteção e defesa dos interesses coletivos, finalidade única de sua existência”.

O tempo passou. Foram 7 anos. Ninguém foi punido. O Poder da Justiça e do Ministério Público não prevaleceu. O Patrimônio Público não foi ressarcido dos prejuízos causados pela total negligência de quem administrava a cidade de Rio Claro na ocasião.

Jenyberto Pizzotti

jenyberto@yahoo.com.br

 

 

_museu-destruido


Revista Colaborativa

O seu maior objetivo é diminuir as distâncias geográficas e de estilos de vidas para um caminho mais rápido ao alcance do conhecimento, divulgar ideias, movimentos, e ações através de uma nova mídia colaborativa na cidade, com informações de causa social, uma revista eletrônica que tem como público alvo internautas com médio e alto potencial ideológico e de consumo para interagir e desenvolver a sua própria subsistência em diversas esferas da comunidade para o bem comum.