Depoimento: Uma Pouca Vergonha a Saúde nessa Cidade

sus

SUS – Rio Claro/SP – Ontem minha mãe foi a UPA do cervezon com sangramentos ao defecar, foram solicitados 10 exames de sangue e mandaram ela de volta pra casa para retornar hoje após 12h para ver os resultados.

 

Hoje ela foi, estava com diabetes 580, foi dado 3 vidros de soro para baixar o diabetes e foi visto os exames que deram alteração nas enzimas do fígado e a médica que atendeu fez um exame de toque para ver sobre o sangramento, sangrou.

 

A mesma afirmou que minha mãe está com sangramento no estômago e intestino e que o caso é grave e ela internaria, mas como minha mãe não está vomitando sangue e nem com anemia ainda por causa do sangramento ela não conseguiria essa internação. Que ela precisa fazer endoscopia e colonoscopia com urgência e deu um encaminhamento para um gastro.

 

Consegui falar com uma vereadora e amigos tbm falaram com outros e disseram que iam tentar a internação pra ela. Mas nada foi feito e a médica falou que podia ligar qm for lá que ela não daria o papel pra internação.

 

Oi?

 

Ela diz que por ela era internação e depois muda de idéia?

 

Falou pra Nós corrermos pra fazer os exames dela o mais rápido possível.

 

Tá, mas os exames no particular ficam mais de 1000 reais e no SUS demora muito, minha mãe está na fila pra endoscopia a mais de 2 meses. E então eu pergunto, esperamos morrer na fila do SUS? Ou roubamos um banco pra pagar pelos exames?

 

Ficamos a tarde toda em contato com várias pessoas e infelizmente nada foi feito.

 

Fui até a UPA e perguntei de novo pra médica e gravei a conversa onde ela afirma novamente que só interna em casos muito graves e se ela estiver com muita anemia e fraca ou botando sangue pela boca. Ou seja quase morrendo, aí interna pra morrer?

 

Estou indignada, estressada, triste e perplexa com o descaso da saúde nesse país.
Amanhã iremos novamente tentar os exames rápido e pode ter certeza que procuraremos nossos direitos.

 

Att, Cassi Menezes – 17/05/2017


Revista Colaborativa

O seu maior objetivo é diminuir as distâncias geográficas e de estilos de vidas para um caminho mais rápido ao alcance do conhecimento, divulgar ideias, movimentos, e ações através de uma nova mídia colaborativa na cidade, com informações de causa social, uma revista eletrônica que tem como público alvo internautas com médio e alto potencial ideológico e de consumo para interagir e desenvolver a sua própria subsistência em diversas esferas da comunidade para o bem comum.