Revista Colaborativa Rio Claro Online Contato WhatsApp: +55 19 9 9801.7240 | 3597.0881 contato@rioclaroonline.com.br


cachorros-com-medo-de-fogos-de-artificio
31 de dezembro de 2019

Como acalmar cachorros com medo de fogos de artifício?


Em épocas festivas é muito comum o uso de fogos e rojões durante comemorações. Porém, alguns cachorros mais sensíveis e medrosos acabam se estressando muito nessas situações, e em alguns casos, o pânico é tão grande que, ao tentarem se proteger, os bichinhos podem se machucar, fugir ou até mesmo terem sérios problemas de saúde.

 

Para evitar esse tipo de problema, algumas dicas podem ajudar seu cãozinho a passar por esse período de uma forma muito mais tranquila.

 

Por que eles têm medo de fogos de artifício e rojões?
Cães têm a audição muito mais sensível que a de humanos e barulhos muito altos costumam incomodá-los.

 

Além disso, para eles, sons altos podem significar perigo. Estrondos, como os de um rojão ou fogos, passam a ideia de que algo grande se aproxima. Na natureza, sons desse tipo podem representar uma árvore caindo, uma tempestade muito forte se aproximando ou até mesmo um desmoronamento. Faz parte do instinto de sobrevivência do animal fugir ou se esconder quando ouvem esses barulhos, pois, assim, eles teriam mais chances de sobreviver caso algum desastre acontecesse.

 

O que fazer para diminuir esse medo nos cachorros?

 

1. Sociabilização e dessensibilização

Em primeiro lugar, devemos lembrar da importância de realizar uma boa sociabilização dos filhotes para que eles não cresçam com medo de pessoas, outros animais, barulhos ou situações do dia a dia.

 

Mas, se o seu cachorro já não é mais filhotinho e ele tem muito medo de fogos de artifício, rojões ou outros sons, você também pode treiná-lo para que, aos poucos, ele se acostume com esse tipo de barulho. Para isso, você irá precisar de um gravação do ruído que causa medo no cão para realizar a dessensibilização.

 

Em um dia tranquilo, com o cachorro bem relaxado e calmo, coloque o som do barulho do qual seu bichinho tem medo para tocar, em volume baixo, e brinque com ele normalmente, faça bastante carinho, dê petiscos. Com o tempo, vá aumentando o volume devagar e continue agradando o e mostrando que aquele barulho não representa perigo nenhum.

 

É muito importante respeitar sempre o limite do animal. Caso ele se assuste, volte a abaixar o volume e comece de novo.

 

Caso sinta necessidade, você pode contratar um adestrador profissional para lhe ajudar com esse treinamento.

 

2. Prepare um espaço seguro para o cachorro

Se o seu cachorro já procura um lugar específico em sua casa para se abrigar quando está com medo, permita que ele fique lá enquanto tiver barulho de fogos e rojões. Um ambiente associado a uma pessoa que ele tem mais afinidade, que tenha bastante o cheiro das pessoas da casa, também pode ajudá-lo a se sentir mais seguro.

 

Crie um espaço no qual ele possa ficar tranquilo, com janelas e portas fechadas para minimizar o som externo e impedir que o cãozinho fuja para a rua. Você pode, ainda, colocar uma música ou deixar a TV ligada para mascarar ainda mais os ruídos que o assustam.

 

É importe que quando sabemos que haverá barulhos que podem assustar o bichinho, que eles fiquem de coleira com identificação. Assim, caso ele escape de sua casa por estar assustado, ficará mais fácil dele ser localizado e levado de volta para você.

 

3. Mude a sua reação

Quando seu cachorro ouvir um barulho que o assuste, ao invés de se abaixar e ficar preocupado com ele, mude a sua reação. Esse comportamento aflito passa para o seu cão a sensação de que você também está com medo do barulho e isso pode piorar a situação.

 

Ao invés disso, tente mostrar que está tudo bem. Comemore o barulho com ele, faça carinho, jogue uma bolinha para ele, dê um petisco. Com isso, aos poucos ele passará a associar o barulho que o assustava com uma situação mais prazerosa.

 

4. Procure um veterinário

Em alguns casos, o medo de fogos de artifício é tão grande que o cachorro baba, treme, fica extremamente agitado, podendo se colocar em risco e até mesmo desenvolver algum tipo de doença. Nesses casos, é possível utilizar uma medicação para acalmar o animal durante os períodos nos quais ele ficará exposto aos sons que tem medo.

 

Entretanto, somente um veterinário é capaz de avaliar a necessidade e prescrever algum medicamento para esse fim. Nunca dê remédios aos cachorros sem a prescrição médica.

 

Além disso, caso seu veterinário considere melhor que o seu cãozinho tome medicação para se acalmar, é preciso testar o efeito do remédio antes do dia no qual o cachorro ficará exposto aos fogos e rojões. Dessa forma é possível avaliar sua reação e evitar complicações inesperadas na hora da utilização.

 

Seguindo essas dicas com certeza você e seu amiguinho poderão curtir as comemorações muito mais tranquilos e sossegados.

 

Se você seguiu estas orientações e ainda assim o pet não melhorou, procure a ajuda de um especialista em comportamento animal para minimizar o estresse do seu bichinho. Fale conosco!


cachorro-osasco-carrefour
18 de março de 2019

Carrefour vai depositar R$ 1 milhão em fundo para cuidados a animais


Morte da cadela Manchinha em unidade do supermercado de Osasco após agressão de segurança terceirizado causou comoção nas redes.

 

A rede de supermercados Carrefour terá que depositar um milhão de reais em um fundo criado pelo município de Osasco, na Grande São Paulo, após a morte da cadela Manchinha. O episódio envolveu um segurança terceirizado da unidade que agrediu o animal, resultando na morte por hemorragia em 28 de novembro.

 

De acordo com o Ministério Público de São Paulo (MP-SP), foi assinado um termo de compromisso para depósito neste fundo de proteção aos animais. Deste valor, 500 mil reais serão destinados à esterilização de cães e gatos; 350 mil reais para compra de medicamentos para o Hospital Municipal Veterinário e do canil de Osasco, e 150 mil reias para aquisição de rações para associações, Ongs e entidades ligadas à causa animal no município.

 

O Carrefour poderá sofrer multa de um mil reais por dia de atraso no depósito. A cidade de Osasco também será investigada por possível improbidade administrativa caso não atenda as exigências do termo.

 

A Promotoria de Justiça será a responsável pelo cumprimento da decisão.

 

Segundo nota do supermercado, a marca afirma já executar um plano de ação em prol da causa animal, tanto na cidade de Osasco como em outras cidades do país. Um site foi criado para disponibilizar as iniciativas já executadas:  carrefour.com.br/causa-animal.

 

 

Fonte: Exame

Imagens divulgadas por ativistas mostram marcas de sangue do animal no chão da unidade

(Facebook/Reprodução)


brumadinho_brasil
29 de janeiro de 2019

Quando carro ou geladeira valem mais que as vidas sacrificadas em Brumadinho


Enquanto a vida de um só ser humano valer menos que um eletrodoméstico, continuaremos sem esperança de redenção no túnel sem saída da barbárie.

 

Aos que acompanhamos a tragédia da represa da mineradora Vale que desmoronou em Minas Gerais, e o número de vítimas mortais que aumenta a cada momento, só resta a indignação, a dor e a solidariedade com as famílias enlutadas. Indignação porque a catástrofe poderia ser evitada, como indicam todos os especialistas, e dor e solidariedade com as famílias em pranto.

 

Ficou evidente, apenas três anos depois do crime de Mariana, cujas feridas continuam abertas, que mais uma vez o lucro e a corrupção prevaleceram sobre a preocupação quanto a possíveis vítimas. E isso gera indignação e desespero para aqueles que se viram afetados e se sentem imponentes frente a esses gigantes complexos mineradores protegidos pela impunidade.

 

Em meio ao luto vivido pelo Brasil e ao sentimento de impotência que sacode as pessoas normais, a grande solidariedade das pessoas com as famílias atingidas serviu como único sopro de esperança de que a consciência solidária dos brasileiros não morreu e continua palpitando frente à dor causada pela avareza do capitalismo selvagem.

 

Em meus muitos anos de jornalismo, estou acostumado a relatar e analisar muitas outras catástrofes mundo afora, mas mesmo assim houve uma declaração de um político mineiro que me causou um mal-estar difícil de expressar. Eu a li no blog do jornalista, escritor e agudo polemista Reinaldo Azevedo. É um tuíte de Evandro Negrão Jr., vice-presidente do partido Novo no Estado de Minas, cenário da tragédia. Precisei ler várias vezes o texto, que Azevedo qualificou como “latrina”, para me convencer de que não estava alucinando.

 

Nele, o político, correligionário do atual governador de Minas, Romeu Zema, escreve que de fato os mortos de Brumadinho dão pena, mas que o importante é essa maravilhosa empresa que arranca minérios do coração da terra. Ou será que os brasileiros preferem ficar sem carros e sem geladeiras em vez de perder um punhado de vidas? E conclui que o importante é que a empresa retome sua atividade o quanto antes, para continuar produzindo materiais sem os quais ficaríamos privados de eletrodomésticos.

 

E as vítimas? Que a Vale pague uma multa. O político foi até generoso com os mortos: pede que seja uma “grande multa”. E a prisão para os possíveis responsáveis? Isso seria um castigo exagerado para uma empresa tão fantástica que, conforme escreve, torna o mundo “muito melhor”.

 

Não, não é uma fake news. Eis o texto literal:

 

“Lamentável, muito dolorido e MUITO sofrido o desastre de Brumadinho, mas n/ podemos demonizar a Vale. É uma baita empresa, sem minério n/ tem carro, avião, nem geladeira e o mundo é muito melhor c/ empresas como ela do q sem. Ela errou, deve pagar 1 grande multa e voltar a funcionar asap.”

 

Enquanto a vida de um só ser humano valer menos que um eletrodoméstico, continuaremos todos apanhados e sem esperança de redenção no túnel sem saída da barbárie. O texto do político do Novo é a melhor elegia do capitalismo em estilo puro, para quem o lucro é seu único bezerro de ouro digno de culto. O resto, o pranto das pessoas que tiverem que ser sacrificadas em seu altar, são um apêndice, um parêntese, uma insignificância. Menos que uma geladeira.

 

Afinal, o que são algumas dezenas de vítimas a mais ou a menos, em um país com mais de 200 milhões, frente à felicidade de poder ter nossas casas repletas de eletrodomésticos? Não se trata de condenar o sistema capitalista, sempre melhor que o da Coreia do Norte, mas sim de fazermos isso convencidos de que uma só vida humana sempre continuará valendo mais que todo o ferro e o ouro do mundo.

  

Fonte: El País
Foto: Mulher chora ao observar os estragos causados
pelo rompimento da barragem em Brumadinho.
PEDRO VILELA GETTY IMAGES


animais
23 de janeiro de 2019

Garantir comida e água para animais de rua vira lei em Itapevi, SP


O presidente da Câmara de Itapevi, Professor Rafael (Pode) promulgou na última sexta-feira, 18, o projeto de lei, de autoria do vereador Denis Lucas de Oliveira (PRB), que autoriza o poder público a fazer parceria para a colocação de comedouros e bebedouros para animais de rua no município. Denominada AlimentaCão, a nova lei tem por objetivo garantir a proteção e o bem-estar dos animais que vivem na rua, aproveitando a disposição da sociedade para colaborar com a ideia, sem que haja custos para a prefeitura. De acordo com o projeto, a construção dos comedouros e bebedouros públicos, bem como seu abastecimento, limpeza e manutenção não serão de responsabilidade da municipalidade, devendo ser realizada pela comunidade, instituições privadas, sociedade de proteção animal, Ongs, ou por pessoas físicas comprometidas com a causa animal previamente selecionadas e cadastradas pelo órgão responsável.

 

Além disso, caberá a essas entidades zelar pela conservação e higiene dos equipamentos, que serão fiscalizados pelo poder públicos. Para a implementação do projeto poderão ser firmadas parcerias com escolas, presídios, instituições de recuperação de jovens, sejam públicas ou privadas. A aquisição de insumos, como ração, também poderá ser feita por meio de parcerias, com campanhas de arrecadação para o abastecimento dos comedouros.
O projeto também prevê penalidades para quem for pego danificando os recipientes.

 

O comprometimento total ou parcial dos equipamentos por meio de vandalismo será punido com multa de R$ 500, e o valor será revertido para a causa animal. A medida foi promulgada pela Câmara porque não foi analisada pelo prefeito Igor Soares no prazo regimental, após aprovação pelos vereadores. Caso o presidente do Legislativo não adotasse a medida, o projeto de lei poderia ser inviabilizado.

 

 

Por Júlio Rezende
Fonte: www.olharanimal.org


diario-cavalo
15 de janeiro de 2019

Cavalo é deixado no Jardim Público com sinais de maus-tratos e levanta discussão


Na manhã desse sábado (12), um cavalo abandonado foi avistado no Jardim Público com sinais de maus-tratos. A Guarda Civil Municipal foi acionada, mas aguardou a chegada de membros da secretaria de Meio Ambiente para a retirada do animal do local.

 

O secretário de Meio Ambiente, Ricardo Gobbi, informou ao Centenário que o animal deve passar por exames e procedimentos para confirmar se sofreu maus-tratos e que será medicado, se necessário. Só depois poderá ser colocado para adoção.

 

Questionado, ele informou ainda que um transeunte, no momento do resgate, manifestou interesse em adotar o animal, mas ressaltou que a secretaria deve fazer uma avaliação se o interessado tem condições de ser um cuidador.

 

O episódio levantou uma questão referente ao abandono de animais de grande porte: Rio Claro tem espaço para abrigar as criaturas?

 

Gobbi informou que a prefeitura mantém um espaço, mas que ainda não é adequado. Citou ainda o custo para manter o animal, que é muito alto.

 

PROJETO

 

A diretora do Departamento de Proteção Animal, Giselle Fernanda Pfeifer, esclareceu ao Centenário que atualmente o poder público dispõe de um espaço nos fundos do Canil Municipal, onde os animais de grande porte pernoitam. “Durante o dia, eles pastam numa área cercada que se encontra ao lado”, explica ao lembrar que a área foi idealizada e executada na atual gestão. Segundo a diretora, antes não havia nenhum espaço adequado para o recolhimento desses animais.

 

Conforme mencionado por Gobbi, a secretaria possui um projeto para atender essa demanda, que foi detalhado pela diretora do departamento. De acordo com ela, já existe um projeto executivo (plantas e desenhos) que atendem as necessidades do departamento e o bem-estar dos animais e que em breve já estará em funcionamento.

 

Ela esclarece ainda que só falta definir de onde virão os recursos para a construção do espaço. “Falta apenas definir se o espaço será construído com dotação orçamentária do próprio Departamento de Proteção Animal ou através de medidas compensatórias, decorrentes de obras particulares”, diz.

 

DEPARTAMENTO

 

Pfeifer lembra que o departamento de Proteção Animal foi criado através de lei e tem dotação orçamentária própria para “enfrentar materialmente as demandas que são necessárias para socorro do bem estar animal”. O departamento tem entre suas funções coordenar o canil municipal e os serviços de atendimento aos animais em sofrimento

 

 

Fonte:  Diário do Rio Claro


defesa-animal
17 de dezembro de 2018

Câmara aumenta pena de maus-tratos contra animais e zoofilia


A Câmara dos Deputados aprovou na tarde da última terça-feira (11) o projeto de lei que aumenta pena em casos de maus-tratos contra animais.

 

O texto estabelece que a pena será acrescida de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal ou quando forem constatados atos de zoofilia (ato sexual entre seres humanos com animais). A matéria segue para análise do Senado.

 

A matéria foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) em abril, mas só foi levada ao plenário da Casa nesta semana depois de comoção nacional com o espancamento e morte de um cachorro pelo segurança de uma rede de supermercados. O caso aconteceu no início deste mês, na cidade de Osasco (SP).

 

Para o relator da matéria, deputado Fábio Trad (PSD-MS), o aumento de pena é justo e mantém o equilíbrio das penas existentes na legislação. “O texto avança em termos penais na disciplina protetiva dos animais”, disse.

 

Senado

 

Um grupo de ativistas em defesa dos animais esteve no Senado para pedir apoio ao presidente da Casa, senador Eunício Oliveira (MDB-CE), para aprovar outro projeto que também endurece as penas por maus-tratos a animais. De acordo com a PLS 470/2018, a pena para esse tipo de crime será de três anos e, se for cometida em estabelecimentos comerciais, poderá chegar a mil salários mínimos.

 

Ao justificar o projeto, o autor da medida senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse que a sociedade brasileira recebeu com “indignação e estarrecimento a execução cruel a que foi submetido o cachorro em Osasco”. “A violenta morte do animal causou revolta e manifestações de repúdio e a rede de supermercados viu-se obrigada a publicar nota informando que repudia veementemente qualquer tipo de maus-tratos”.

 

Atualmente, abandono e maus-tratos a animais são considerados pela lei como crimes de menor potencial ofensivo, com pena de três meses a um ano. Penalidade que pode ser revertida em trabalhos sociais, por exemplo.

 

Pelo texto de Randolfe, os estabelecimentos comerciais que concorrerem para a prática de maus-tratos, direta ou indiretamente – por omissão ou negligência – serão multados de um a mil salários mínimos. Esses valores serão aplicados em entidades de recuperação, reabilitação e assistência de animais.

 

“É relevante também que se punam, pelo bolso, os estabelecimentos que concorrem para a prática medievalesca de maus-tratos a animais, atacando aquilo que é mais caro a essas empresas: o seu patrimônio”, argumentou o senador.

 

Aprovação

 

O Senado aprovou também na terça-feira (11) o projeto de lei que responsabiliza estabelecimentos comerciais que forem coniventes com maus-tratos a animais. A proposta foi apresentada na semana passada após um segurança de supermercado agredir um cachorro em Osasco (SP), provocando a morte do animal.

 

A proposta estabelece que lojas e outros estabelecimentos que concorrerem para a prática de maus-tratos, direta ou indiretamente – por omissão ou negligência – serão multados de um a mil salários mínimos. Esses valores serão aplicados em entidades de recuperação, reabilitação e assistência de animais.

 

Elaborada pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Eunício Oliveira (MDB-CE), a matéria foi para a pauta em regime de urgência após o episódio, ocorrido no fim de novembro em uma loja da rede Carrefour. Sensibilizados, os parlamentares se mobilizaram nos últimos dias em prol da causa. Mais cedo, a Câmara aprovou outro projeto, que endurece as penas para casos de agressões e zoofilia.

  

Por Agência Brasil


1
30 de julho de 2018

Cães são resgatados de canil clandestino em Rio Claro


A Guarda Civil Municipal de Rio Claro em ação conjunta com o Departamento de Proteção Animal regataram na última sexta-feira (27), 14 cães em um canil clandestino na cidade. A responsável pelo local foi detida.

 

No local, as autoridades encontraram os animais, maioria fêmeas, e duas cadelas também estavam grávidas.

 

O Departamento de Proteção Animal alerta que os cães seriam usados para comércio ilegal.

 

Os animais foram recolhidos e estão no Canil de Rio Claro.

 

A mulher foi encaminhada para a delegacia, ouvida e liberada.


6
5 de julho de 2018

Rio Claro/SP receberá veículo de Castramóvel para castração de cães e gatos


A vereadora Maria do Carmo Guilherme realizou pedido junto ao deputado federal Ricardo Izar (PP), solicitando emenda para a compra de um veículo “Castramóvel”.

 

“Após diversas conversas com protetores de animais e pessoas envolvidas com a causa animal, verificamos a necessidade de ter um “Castramóvel” em nosso município”, disse a vereadora.

 

“Infelizmente o abandono de animais é uma realidade, o controle populacional de cães e gatos tem que ser encarado como um trabalho de política pública. A castração é parte do trabalho feito para conscientização da posse responsável”.

 

A verba no valor de R$ 120 mil já está na conta da Fundação Municipal de Saúde, que será a responsável por abrir o edital para aquisição do veículo adaptado e equipado conforme as normas de saúde.

 

Finalmente Rio Claro/SP poderá atender a demanda que não é pouca na cidade, elaborando assim, um cronograma de atendimento por regiões. Os serviços serão gratuitos.

 

6


1
19 de fevereiro de 2018

Conheça a Campanha Adote no Canil 2018, para ajudar e somar forças com o Canil Municipal


A Primeira Agência de Publicidade e Marketing da Cidade de Rio Claro/SP e Região, a Agência Interativa Nautilus Publicidade desenvolveu a Ideia da Campanha Adote no Canil para ajudar e somar forças com o Canil Municipal, e esse ano de  2018 a campanha está no seu segundo ano promovendo a conscientização e importância da Adoção Responsável, a Campanha estará sendo divulgada nas redes sociais.

 

“A ideia dessa importante Campanha é justamente viabilizar novas ações e divulgações para chamar a atenção da população em geral para a demanda de animais abandonados e carentes que se encontram no Canil Municipal. Esse ano de 2018 a nossa Agência completa 40 Anos, e para comemorar e também mostrarmos a consciência social da empresa realizando algumas Campanhas e Eventos a fim de trazer mais adeptos, empresas, parceiros e amigos, para se aproximarem das causas sociais na cidade de Rio Claro/SP, ações bem planejadas e empregadas em parceria com a comunidade e com o poder público, resultam em efetivas ações de melhorias para a cidade,  tudo é viável se as pessoas tiverem vontade de ver a mudança acontecer e se estiverem dispostas a praticar cidadania diariamente!”, afirma a Diretora Executiva da Agência Leila Pizzotti”.

 

A Campanha Adote no Canil é uma Parceria do Canil Municipal e da Agência Interativa Nautilus Publicidade.

 

CAMPANHA #ADOTENOCANIL – CANIL MUNICIPAL

 

Para adoção o horário de atendimento é das 7 às 17h e se for apenas para visitação: das 13 às 17h.
Sábados, Domingos e Feriados: das 7 às 12h.

 

Todos os animais são castrados, vacinados, vermifugados e Chipados.
Levar um documento para adoção.

 

Os interessados também podem entrar em contato pelo telefone: (19) 3532.4115

 

O município de Rio Claro aposta na posse responsável para reduzir o número de animais nas ruas. Antes de adotar um animal é preciso considerar o espaço físico, custos de alimentação e características da raça.

 

 Levar um documento para adoção.

Muitos animais domésticos vivem abandonados nas ruas das cidades brasileiras. Para ajudar a reduzir esse problema, em Rio Claro a Secretaria Municipal de Meio Ambiente faz orientação sobre alguns cuidados importantes antes de se optar pela adoção ou compra de um animal de estimação. E também oferece castração gratuita de cães e gatos para reduzir a procriação indesejada.

 

O Departamento Municipal de Proteção Animal ressalta que, antes de decidir ter um animal em casa, é preciso considerar aspectos como o espaço físico disponível, os recursos para alimentar e cuidar da higienização do animal e a empatia dos membros da família em relação ao bicho de estimação. Também é necessário ter opções para não haver abandono caso a família viaje.

 

Um importante aspecto a ser considerado é a característica da raça escolhida. Algumas são dóceis, outras temperamentais, algumas mansas, serenas e outras, hiperativas. Por isso, não basta escolher apenas pelo aspecto visual do animal.

 

O departamento de Proteção Animal usa como exemplo de raça que costuma gerar muitos abandonos é a ChowChow. Por serem fortes e territorialistas, cães dessa raça podem ter problemas com pessoas fora do convívio familiar e rotineiro, e também com outros animais. Acabam muitas vezes sendo abandonados.

 

Outra ação do município de Rio Claro para diminuir o número de animais nas ruas é a castração gratuita de cães e gatos. O serviço é feito no Centro Cirúrgico do Centro de Controle de Zoonoses. O agendamento é feito pelos telefones (19) 3535-4441 e 3533-7155, de segunda a sexta-feira, das 7 às 16 horas.

 

Canil Municipal

 

Os interessados em adotar podem visitar o canil municipal de Rio Claro, que abre ao público diariamente. Localizado na Rua Alfa, sem número, ao lado do Centro de Controle de Zoonoses, o canil atende de segunda a sexta-feira das 7 às 17 horas, e aos sábados, domingos e feriados das 8 às 12 horas.

 

O Canil Municipal possui fanpage no Facebook no endereço www.facebook.com/canilrioclaro, na qual a comunidade pode ver quais são os animais abrigados a espera de adoção.

 

canil

canil

canil01

 


1
17 de novembro de 2017

Cão macho, com o órgão genital mutilado é encontrado na Estrada de Itapé


Munícipes encontraram um cachorro jogado na estrada de Itapé na chuva e com uma corda no pescoço, duro sem movimento de tanta dor, abandonado para morrer, imediatamente o socorreram, levando-o no Dr Geraldo Wiechmann da Clínica Veterinária Bela Vista há cerca de uma semana atrás de madrugada.

 

2

 

A maldade foi tanta que cortaram o órgão genital do cachorro no osso e provavelmente levou também uma pancada forte nas costas, Dr Geraldo fez as injeções, internando assim o cachorro. O seu dono e tutor Leandro Martinez reconheceu o cachorro, e a pedido de Leandro o cachorro foi transferido para Araras onde não resistiu e morreu.

 

Mais um caso de maldade do homem a um ser que não sabe se defender da crueldade humana 

 

O cachorro ganhou o nome de Menino Bom durante o tempo que estava ainda tentando lutar por sua vida.

 

A situação lamentável ocorrida com os munícipes Cah Rodrigues, Taynan Rodrigues, Tamires Rodrigues, que acharam o cachorro e imediatamente se mobilizaram para tentar salvá-lo, (assim como Marcinha Ferrari Maia e outros voluntários que ajudaram na divulgação e compartilhamento do caso nas redes sociais para que o seu possível tutor fosse localizado) só confirma que o tamanho descaso, indiferença e ignorância humana da pessoa que fez essa crueldade com o cachorro, não pode ficar impune!

 

 

  QUE BARBÁRIE COMETIDA!!!

1