Prefeitura Reinicia Obra em Terceira Unidade de Saúde

1
7 de agosto de 2017

A Prefeitura de Rio Claro retomou nesta semana as obras do prédio da Unidade de Saúde da Família (USF) do Jardim Brasília I, situada na Avenida dos Costas. Era uma das seis obras de USF’s que foram abandonadas no ano passado, na gestão anterior. Na semana passada a prefeitura anunciou a retomada das obras no São Miguel. Já a unidade do Santa Elisa está praticamente concluída. “Eram situações que geravam incômodo para os vizinhos devido à insegurança, mas principalmente representavam grande desperdício na área de saúde, que precisa muito de investimentos para ampliar o atendimento”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que na quinta-feira (3) vistoriou parte das obras no Jardim Brasília 1.

 

O secretário municipal de Saúde, Djair Francisco, e o vereador Rafael Andreeta, acompanharam a vistoria. De acordo com Djair, a retomada das obras nas USF’s que estavam paradas é uma das iniciativas do município dentro do programa Mais Saúde, que já tem ações como a Farmácia Todo Dia, com atendimento em finais de semana e feriados, além da instalação de estrutura médico-hospitalar em unidades móveis que em breve estarão no Espaço Livre do Centro. “Isso é fruto de nosso compromisso em melhorar o atendimento em saúde e investir o dinheiro público com responsabilidade e qualidade”, comenta.

 

As seis unidades de saúde à espera de conclusão, cujas obras foram abandonadas pelo governo municipal anterior, embora tenha recebido R$ 3,2 milhões da União para realizar o serviço, incluem ainda os bairros Bela Vista, Jardim Progresso e Vila Verde /Mãe Preta. O Ministério da Saúde cobrou do município a devolução dos recursos ou o término das obras. O município redobra esforços para retomar as obras nessas três.


Revista Colaborativa

O seu maior objetivo é diminuir as distâncias geográficas e de estilos de vidas para um caminho mais rápido ao alcance do conhecimento, divulgar ideias, movimentos, e ações através de uma nova mídia colaborativa na cidade, com informações de causa social, uma revista eletrônica que tem como público alvo internautas com médio e alto potencial ideológico e de consumo para interagir e desenvolver a sua própria subsistência em diversas esferas da comunidade para o bem comum.