Revista Colaborativa Rio Claro Online Contato WhatsApp: +55 19 9 9801.7240 | 3597.0881 contato@rioclaroonline.com.br


alegre
9 de dezembro de 2019

Sua vida é determinada por você ou por outras pessoas?


Quem está no controle da sua vida?
Mulheres não sabem dirigir, homens lideram melhor do que as mulheres, mulheres são sentimentais e homens são racionais, chorar não é coisa de homem…

 

Os estereótipos desconsideram a individualidade, ou seja, as características que fazem de cada ser humano um indivíduo único e singular.

 

Não é ser homem ou mulher o que caracteriza um bom motorista, um ótimo líder ou uma pessoa mais racional ou mais sentimental. Cada indivíduo possui características próprias, assim como seu potencial para desenvolver as competências que desejar.

 

Estereótipos e suas consequências
Entretanto, esse potencial pode ser comprometido, se a pessoa se deixar influenciar por estereótipos ou sucumbir à pressão que eles geram. No que diz respeito às mulheres, o questionamento e a superação de estereótipos são problemas que ainda se desenrolam.

 

É muito comum as pessoas terem sintomas depressivos, de ansiedade ou serem cheias de frustrações por não se sentirem realizadas. É como se faltasse aquele tempero especial, mas elas não são capazes de definir esse tal tempero, sabe?

 

Algumas mulheres podem encontrar satisfação na vida familiar; outras, na carreira; e outras, conciliando ambas. Cada indivíduo define o próprio caminho para a autorrealização, e isso é a coisa mais maravilhosa que existe.

 
Lócus de controle interno e externo
O modo como lidamos com a pressão externa está relacionado ao lócus de controle, que é o local em que uma pessoa situa o poder de controle sobre o que acontece em sua vida, podendo ser interno ou externo.

 

Pessoas com lócus de controle externo acreditam que sua vida é determinada por outras pessoas, pelas circunstâncias e por fatores alheios à sua vontade, por isso tendem a:

 

– Culpar outros por circunstâncias que lhes acontecem.

– Acreditar que estão na mão do destino ou de forças alheias à sua vontade.

– Buscar a validação dos outros.

– Ceder às pressões externas.

 

Já quem tem lócus de controle interno acredita que sua vida é determinada pelos próprios comportamentos e ações. Então, suas características mais comuns são:

 

– Assumir a responsabilidade pelo que acontece a elas.

– Acreditar que fazem seu destino.

– Encontrar validação em si mesmas.

– Ser menos vulneráveis a pressões externas.

 

Convido você a tomar consciência do seu desejo pelo negativo e assumir a autorresponsabilidade, aceitando-se por inteiro como merecedor ou merecedora da positividade, responsabilizando-se por seu sucesso, confiando em si e impedindo as pressões externas de determinarem as suas escolhas, decisões e objetivos.

 

Observe as explicações que você dá para que o seu dia seja bom. Quanto mais lócus de controle interno, mais intencionalmente você será capaz de criar positividade e as chances de construir uma vida feliz aumentarão.

 

Antes, porém, verifique se o seu lócus de controle interno está bem resolvido. É preciso ter cuidado para não exagerar na dose. Pessoas com lócus interno excessivamente poderoso correm risco de se tornar inflexíveis e pouco propensas a ouvir opiniões, aceitar feedbacks, admitir os próprios erros e aprender com eles.

 

Quando nos ouvimos mais, muitas respostas sobre nós mesmos aparecem sem mesmo percebermos.

 

Fonte: O Segredo